15 julho 2013

Garçom, por favor...


  Sei que finge não se lembrar mais de mim. Sei que finge não ter tido bons momentos comigo. Você está sentada de frente a sua melhor amiga nesse bar que um dia combinamos de vir conhecer. Não, não estou aqui te seguindo, caso venha pensar isso. Vim aqui conhecer, porque lembrei de ter o dito. Você está com o casaco azul que deixava no meu cabide, para quando precisasse. Está usando a saia que, assim que bati o olho e a vi na loja, logo pensei que suas pernas ficariam mais lindas nela. Lembro que você adorou. E ainda usa o brinco que comprou porque te lembravam meus olhos. Jabuticabas bem maduras.
Você se veste de todas as nossas lembranças e nem se dá conta disso.
Aliás, você está bonita. Espero que seja para você e não para impressionar alguém.

"Quando duas pessoas nascem para ficar juntas, elas ficarão juntas."
Que pensamento errado nós tivemos. Parece-me que não nascemos para ficarmos juntos. Porém, tentar esquecer o que passamos é baixo.
Essa carta, que pedirei ao garçom para te levar, não é por você. É um desabafo, por mim.
Sem mágoas, 
F.

2 comentários:

  1. Nossa, eu adorei o seu texto, parabéns!
    Escreve muito bem :)
    A melhor coisa é isso né? A gente fazer as coisas por si mesmo, não mais pela outra pessoa.

    miragem-real.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Maria!
      E é sim, o melhor é nós fazermos as coisas pensando em nós mesmos (mas não em todos os casos).
      Hehe, adoro seu blog. ;)

      Excluir

"Quero desesperadamente ser uma sacudidora de palavras para o mundo."
Markus Zusak


- Não esqueça de deixar o link do seu blog para que eu possa te visitar!