10 novembro 2013

30Days: Talvez o penhasco seja, sim, uma boa ideia

  1. Descreva um lugar.




Sinto essa ventania ventar no meu rosto. Que sensação deliciosa. Esse penhasco até que é uma boa ideia. Minha atenção corre em direção a uma porta que acabara de ser aberta, seu rangido quebrando minha suave meditação, não penso nem hesito em passar por ela, mesmo não sabendo as intenções do que se tem atrás dela. Não sou de ter medo. Mas, bosta, cadê a organização? Consigo ver papéis de carta, canetas, cadernos, soldadinhos de brinquedo, rosas de plástico e outras coisa que não consigo recordar enxergar, todos esparramados no chão e em cima de escrivaninhas. Não tem janelas. Reconheço o lugar e dou logo um jeito de sair de lá. É bom não entrar nele novamente.

Um corredor. Cheio de portas e mais portas da minha vida. Será isso mesmo? Talvez as outras portas são melhores que a primeira. A maioria delas são lisas e cinzas. Não gosto das portas cinzas. Sinto-me com certa repulsa ao chegar mais perto das maçanetas. Não me assustam, só não gosto. Avisto algumas, pouquíssimas, portas coloridas e com entalhes diferentes. Corro até uma, curiosa. Há alguns desenhos nesta porta que eu sei o que é, mas não consigo identificar. Não sei de onde os conheço, mas sei que sei. Algo não me deixa entender o que são. Abro a porta tentando não pensar muito nos desenhos. Cadê o interruptor? Não está escuro a ponto de não se ver a um palmo de meu nariz, mas também não está tão claro que eu possa ver a partículas de poeira. Gorros verdes, grama, estrelas, pitanga, floresta, Gnomo! Deuses, agora eu sei. Os desenhos borrados sou eu e o Sr. Bacon, da maneira como eu o imaginava. Sempre bravo comigo por fazer minhas bagunças.

Saio. Com boas, e algumas tristes, recordações. Decido entrar em umas das portas cinzas. Escuto as tábuas do chão de madeira ranger e giro a maçaneta da porta, escutando alguns resmungos. O quarto é escuro, muito escuro. Entro e a porta se fecha atrás de mim. As luzes clareiam algumas vezes, bem rápido. Parecendo aquelas luzes estroboscópicas. Ouço um choro baixo e sinto vontade de correr daquele quarto sujo e mofado. Nada nesse quarto é bom. Aqui é triste, deplorável, sem cor. Quero sair, mas não consigo me mover. Tento gritar, mas nada mais que um sopro. Sinto água nos meus pés, subindo rápido, sem parar. No meu queixo. Na minha boca. É meio salgada. Lágrimas? Tento gritar de novo, mas agora a porta se abre e a água toda vai embora. Vejo uma pedra amarrada num cordão "voando", consigo mexer-me!, e vou atrás dela. Tranco a porta. Não seria bom se alguém entrasse ali. E aquela pedra clarinha parece ser minha salvação.

No corredor novamente, correndo, mantenho-me longe das portas cinzas e dou ligeiras olhadelas nas que estão decoradas. Conchas. Penas. Borboletas. Mas isso não importa mais. Não quero mais ficar aqui dentro, mesmo que haja coisas boas, as ruins nos atormentam por mais tempo.

O verde daquela grama aparada me chama e eu não quero recusar seu convite. Mas o céu está tão lindo à minha frente que não resisto e continuo correndo. Sei que tem um penhasco logo mais e um rio lá em baixo. Mas aqui é meu, e se eu quiser ter asas, talvez eu tenha asas! Eu posso. Não gosto da casa da qual acabei de sair, pode até ser bonitinha, mas dentro dela não há apenas coisas bonitinhas. Por isso, prefiro aqui fora. O ar fresco, a água cristalina, a adrenalina de pular. É minha cabeça. É meu.






O local descrito é minha mente. Sim, meio confuso, meio alegre, meio escuro. As coisas são assim.



Resolvi fazer o projeto 30 Days Writing Challenge. Faz mais de mês que estou com esta imagem, só enrolando para começar a escrever o que pede. Vou começar hoje, mas não postarei todos os 30 dias seguidos. Irei esperar para vir mais inspiração para os outros desafios.
Então, é isso. Espero que fique bom.

12 comentários:

  1. Muito interessante!!!
    Adorei ler sobre sua mente.A mente é algo que nunca vamos conseguir descrever totalmente,mas sua descrição foi confusamente linda! rs

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaah! Obrigada, Pri! Pode apostar que mais confuso ainda foi tentar descrevê-la.
      =]

      Excluir
  2. Gostei da descrição, alias gostei muito, a maneira que o texto me seduziu da primeira até a última linha. E no final teve aquele suspiro de "Nossa, que texto foi esse." Acho que você tem um talento continue assim vou ler mas textos seus, adoro suspirar depois de uma bela leitura. bjs, to te seguindo espero sua visita ao meu blog

    mylifeandyourworld.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Danielle! É muito bom ler isso, estou realmente feliz. Que que gostou =D

      Excluir
  3. Nossa, OTIMA descrição. Adorei!
    Penhasco é realmente algo inspirador!
    Adorei esse projeto... Sensacional. Boa sorte!

    Beijos,
    www.miragemreal.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado! Obrigada, Maria!

      Excluir
  4. Adorei o projeto e o tal lugar que você descreveu. Sério!
    Me deu vontade de participar também, mas quero começar o das cartas primeiro.

    Beijos!
    http://www.quaseatoa.com/

    Ah, tem sorteio rolando no meu blog, um vale compras na SammyDress: http://www.quaseatoa.com/2013/10/sorteio-20-dolares-em-compras-na-sammy.html

    ResponderExcluir
  5. Você escreve muito bem, parabéns! Gostei muito!

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Adorei a descrição!
    Vc escreve super bem!
    http://in-acreditaveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

"Quero desesperadamente ser uma sacudidora de palavras para o mundo."
Markus Zusak


- Não esqueça de deixar o link do seu blog para que eu possa te visitar!