27 dezembro 2013

Poeminha nada rimado



Chega de ladainha e me beije logo.
Teus lábios são bonitos, mas ficam mais quando colados nos meus.
Tire essa mão do volante e grude-a na minha perna, ou um pouco mais para cima.
Sei que minha máscara amarga combina com teu lado doce, mas quero sentir meus pelos eriçando com sua barba em meu pescoço.
Desculpe meu apreço pelo erro, mas é assim que sou, é assim que quero ser.
Por mais que eu tente esconder, meu lado sujo fala mais alto.
Na verdade, grita.
E não quero esconder isso de você.
Quero que apenas você me conheça realmente como sou.
Gosto de palavras, mas não sou boa com elas.
Por isso prefiro demonstrar meus sentimentos com meu corpo.
E sei, pelo teu semblante, que tu gosta e que deseja uma madrugada prolongada ao meu lado.

16 dezembro 2013

Adeus ou Boa Noite?




Essa cama de solteiro costumava ser tão aconchegante quando você estava aqui. Agora ela me parece tão grande sem você e, ao mesmo tempo, me parece tão pequena. Estou sem jeito para dormir. Desculpe, mas com as despesas e o salário daquele tamanho, não consegui comprar nem o colchão de casal. Além disso, eu nem queria, é bem melhor dormir pertinho de você que ficar todo espaçoso. Você mesmo disse isso.

"Um dia, não iremos mais dizer 'adeus', apenas 'boa noite'." Meu deus, você é tão poético.

Sabe, machuca querer muito algo e não poder ter. Você é esse tipo de algo. Vamos, desfaz essa cara amarrada, perdoe minha crises, minha voz alterada. Esqueça as brigas, aceite minhas desculpas, vamos fazer as pazes. A vida não costuma ser longa o suficiente para nós ficarmos desperdiçando por bobagens momentâneas. Estou disposta a jogar todo o rancor fora, fazer uma limpeza.

Você sabe, sou muito dependente. Dependente de amor, carinho. Pode ser que o termo "carente" seja o correto a ser usado. Eu preciso respirar você. Seu cheiro que ficou no travesseiro já está acabando. As pessoas perguntam se estou doente, se estou com anemia e outras pérolas. Mas não, não estou com nada disso. Estou apenas triste, com saudade.

Eu sei que meu maior problema é não aceitar certas realidades. Não aceitar que as coisas não sejam do meu jeito. Mas do seu jeito eu aceito. Porque o seu seu jeito é bom para mim, talvez até melhor que o meu jeito. Você é tão certo e tão errado ao mesmo tempo. Sem você aqui tudo fica errado. O telefone não toca, e quem vai tocar o violão? Esse quarto está vazio sem o barulho da sua presença.

Eu sei que você não merece minhas crises, mas isso vem no pacote também. Eu posso te ensinar a voar. Posso escrever algumas cartas fofinhas. Posso até tentar fazer uns poemas, apesar de não ser meu forte. Posso fazer o máximo para nós sermos felizes. Mas para isso preciso de você aqui. Então, porque não volta logo?

09 dezembro 2013

30Days: Coisas que se perdem

Imagem do filme Gravity
9 de Dezembro de 2013

Querido Ian,

Estou perdida no espaço, sem combustível, sozinha. Depois da chuva de destroços ninguém conseguiu sobreviver e perdi toda e qualquer tipo de comunicação com a base. Sei que não adianta esperar, não tem como sair daqui. Estou escrevendo esta carta para desabafar, aliviar, dar uma "satisfação". E, quem sabe, alguém me encontre algum dia? Esta carta vai ser para você, meu amor. O oxigênio está acabando, é só uma questão de tempo. Não vou sentir dor, vou só dormir. Para sempre.
Cuide bem de Sam, como nós treinamos antes eu vir para cá. Diga que eu a amo muito, muito. Diga que nunca vou me esquecer dela. Diga a ela que virei uma estrela bem pequenina e que sempre estarei cuidando dela, daqui cima.
Aqui em cima é lindo, Ian. Todos podem imaginar, mas não chega nem aos pés daquelas fotos de livros de ciências. A Terra é linda.
A saudade está começando a doer e não posso matá-la porque sei que não vou mais vê-los. Sinto falta de sentar na grama com você. Sinto falta de sentir o vento. E o que mais quero agora é sentir você, nem que seja um único, simples e cheio de sentimentos beijo na testa. Agora arrependo-me e sinto a consequência de dizer naquela primeira e única briga que não queria mais ver você. Essa é uma coisa que eu não desejo. Até parece ser brincadeira do universo... Me deixar aqui em cima com vontade de voltar, com vontade de ficar com você. Uma brincadeira sem graça, pode apostar.
Comecei a gostar de você pelo simples fato de gostar, apenas. Gostar de graça, sem querer nada em troca. Você mudou muito meu jeito de pensar e minha visão de mundo. Pode até ser um pouco engraçado, mas só estou aqui por sua causa. "Vai lá! A Sam e eu nos viramos aqui." Eu sei que vocês conseguem, mas duvido que a casa esteja limpa.
Ian, você é a melhor coisa que me aconteceu nessa vida. Tinha medo de te perder, mas agora isso é irrelevante. Você é tudo para mim. Antes de te conhecer, eu estava perdida em um mundo no qual me sentia deslocada. Você me transformou.
O oxigênio está acabando, estou começando a ficar zonza.
Apenas quero que seja feliz, independente do que as pessoas irão dizer ou pensar, você não tem que ligar com isso. Eu amo você.
Chega de palavras, pois estas também irão se perder com o tempo.

Sua Linda.


Carta encontrada em capsula, depois de dois anos, após sua queda em lago na região do México.


04 dezembro 2013

Mais uma para a minha história

Tumblr

Fiquei escondida no meu quarto o dia inteiro. Faltam quatorze minutos para o fim do dia e meus olhos, desde que acordei, estão inchados e avermelhados. A dor de fome no estômago é facilmente esquecida pela dor do peso que está em meus ombros, em minha consciência. Ecoa em minha mente a melodia da decepção: lágrimas caindo no travesseiro como batidas de uma percussão, mais alta que o barulho do ventilador e dos carros lá fora. Não consigo dormir. Não quero sair do meu quarto, vou fazer uma oca e sobreviver reclusa de tudo. Estou com vergonha. Recuso-me a olhar para as pessoas a minha volta.
"Vai ficar fechada nesse quarto por quanto tempo?"
Não importa quanto tempo vou ficar aqui, não podem me impedir de ficar jogada na minha cama molhada de tantas lágrimas. Não estou atrapalhando ninguém nem estou fazendo qualquer tipo de barulho, então me deixem em paz! Pelo menos vocês, porque minha cabeça não vai me deixar. Sou chicoteada pela imagem e pela frase o tempo todo. É difícil aceitar. Eu não quero aceitar.
Sou sempre a primeira a falar que somos novos e que ainda temos tempo de sobra para realizar o que queremos fazer. Porém, é tão mais fácil dizer isso para os outros que para nós mesmos... Eu não quero ter de esperar 6 meses, 1 ano. Quero agora. Por favor, eu quero agora...
Admito que é/será consequência dos meus atos errados, da minha falta de atenção e do meu nervosismo.
Não quero um ombro para escorrer de mim essa minha decepção. Ainda não. Talvez ainda há esperanças. A decepção é angustiante. Quanto mais você chora, mais vai se lembrar do motivo e mais vai sentir o peso do mundo sobre você. O peso do olhos de seus familiares, o peso dos olhos de seus amigos e colegas, o peso dos olhos de quem você não imaginava que ia te julgar tanto. Esse peso é nada mais que lancinante.
Por isso, quero ficar aqui sozinha. Lendo meus livros para me distrair, já que não posso fazer mais nada.
Este é mais um capitulo decepcionante da minha história.