29 dezembro 2014

E aí, 2015?!

É de lei ter algum post de fim de ano falando do ano que se aproxima, sempre. E eu vou fazer o meu.


Pode-se dizer que 2014 foi um bom ano. Conheci novas pessoas. Fiz coisas novas. Também continuei fazendo coisas que eu já fazia antes. Vi muitos filmes com meu namorado. Fiz gordices. Tive momentos maravilhosos, mas minhas crises não me abandonaram ainda. Li muitos livros. E passei no vestibular (acho que isso foi o mais importante para mim, o que me deu muito frio na barriga).

Imagino que 2015 será ainda melhor. Essa nova fase da minha vida, que é a universidade, vai me mudar muito, pois nossa vida são feitas de mudanças, ainda bem! Sei que vou amadurecer mais um pouquinho, são novas responsabilidades a serem cumpridas agora. E o melhor: não vou mais precisar estudar Física, Química nem Matemática, pelo menos por enquanto (desculpe, Pedro Paulo, suas aulas são maravilhosas, mas a matéria que você ensina me desgasta).

É isso, acabo esse ano com a sensação de dever cumprido. E darei início ao próximo ano com novas chaves para abrir as portas que preciso abrir, e quem sabe umas a mais. Dou início com o desejo de tornar 2015 um ano muito divertido!

A única coisa que necessito agora é um emprego, pois livros não caem do céu.



Sim, galerinha, eu dei uma sumida. Fiquei sem inspiração esse mês, acho que de ansiedade, mas voltei.

26 novembro 2014

{Resenha} Maze Runner: Correr ou Morrer

E eu que disse que não leria mais livros esse ano, menti. Nunca consigo ficar sem ler, é realmente minha válvula de escape do mundo.
Enfim, hoje eu vim com a resenha de Correr ou Morrer, primeiro livro da trilogia distópica de Maze Runner, escrito por James Dashner. Sim, é uma trilogia, porém há quatro livros. Procurei um pouco sobre os livros e vi que o quarto livro se passa antes dos acontecimentos do primeiro livro. Estranho, mas interessante.
Acho que já deu para ver que eu AMO distopia e amei quando vi o filme. Eu não sabia nada sobre a história de Maze Runner, já tinha visto algumas pessoas falarem, mas não fui procurar sobre. Então, um dia me deu vontade de ver filme e fui ver quais tinha no cinema e o que mais me chamou atenção (pelo poster) foi Maze Runner. E fui ver. Amei. Simplesmente. E comprei os livros. Lindo!

Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho. Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar - chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo. Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr, correr muito. 
 Editora: Vergara & Riba
Título Original: The Maze Runner
Autor: James Dashner
Páginas: 428
Ano: 2010
 O livro começa quando Thomas acorda dentro de um elevador escuro, em movimento, e percebe que não tem lembrança de nada sobre sua vida, a não ser seu nome. Quando esse elevador para e as portas se abrem, ele vê que está em um lugar chamado Clareira e que há vários outros garotos na mesma situação: sem memória e sem nenhum tipo de informação sobre o motivo por que foram jogados ali.

Thomas é obrigado a esperar pelo Passeio na manhã seguinte a que ele chega, onde tudo será explicado para ele. Com isso, Thomas descobre que a Clareira é rodeada por um Labirinto de muros enormes, onde todas as noites as portas dele se fecham. E, nenhum Clareano, como eles se denominam, que passou a noite no Labirinto, saiu vivo de lá.

Por que? Existem monstros totalmente assustadores e a explicação de como eles são vai além da imaginação: os Verdugos. Meio máquinas meio bichos gosmentos e nojentos, os Verdugos são os maiores perigos para os Clareanos. No dia depois que Thomas chega à Clareira, acontece uma coisa muito estranha, a Caixa, como é chamado o elevador, sobe com mais um novato, mas dessa vez é uma menina que traz consigo uma mensagem bem assustadora.

Minho, um Corredor, encontra um Verdugo morto e chama Alby, o Líder, para que possam ver o que aconteceu. Ocorre um imprevisto com eles o que acaba fazendo com que cheguem atrasados na Clareira e as Portas do Labirinto se fecham, porém antes de se fecharem, Thomas, que estava esperando eles chegarem, viu que não daria tempo para Alby e Minho entrarem e correu para o Labirinto, quebrando a Regra Número Um: Nunca Entre No Labirinto.

Depois desses acontecimentos, todos passam a suspeitar de Thomas, primeiro por causa da garota e segundo por ter sobrevivido uma noite no Labirinto junto com Minho e Alby e acabar deixando a Clareira em desordem após sua chegada.

Esse é praticamente um resumão da história, o que importa é: você tem que ler o livro. Olha só, se tiver algum romântico ao extremo aqui, nem leia, pois é bem provável que depois irá falar mal do livro para deus e o mundo. Esse é um livro de ação, mistério e suspense, não de romance. Pode até ser que tenha nos próximos livros, mas nesse é bem superficial.

Dashner consegue nos passar muito bem como é estar dentro da Clareira e cada traço dos personagens. A ideia da distopia dele é bem diferente de tudo que já li e assisti, pode ser que lembre Jogos Vorazes, mas é muito pouco e é passado um pensamento diferente. Comecei a ler o segundo livro já e, ó: socorro. Está muito bom! Super recomendo!


E aí, alguém já leu o livro? Viu o filme? Contem aqui se gostaram. *-*

Au revoir.

19 novembro 2014

{Melhores Quotes} Claros Sinais de Loucura

E aí, galere?! Como vai a vida? A minha vai bem corrida.
Bom, maaais um "Melhores Quotes" aqui no blog e hoje venho com um livro maravilhoso (e pouco conhecido ainda) que é o Claros Sinais de Loucura, da Karen Harrington. Ah, e para quem não sabe, fiz uma resenha dele aqui no blog, para lê-la clique aqui.

Claros Sinais de Loucura - Karen Harrington
"Nem todo mundo reage às palavras da mesma maneira. Algumas são palavras-problema. Uma palavra problema muda a expressão da pessoa que a escuta. Amor pode ser uma palavra-problema para algumas pessoas. Loucura também. Eu sei bem."
"Do meu ponto de vista, a vida é muito dramática. Eu estou apenas fazendo meu papel." 
"É engraçado como eu não sabia que era um só um monte de peças soltas até que alguém me abraçou forte." 
"É isso o que eu sou. Uma cripta de segredos. Eles se agitam dentro do meu peito como pássaros engaiolados que querem fugir, mas têm medo de voar."
"Por que alguém ia querer que o mundo soubesse da sua vida? Pessoalmente eu ia preferir que um garoto percebesse qual livro eu estava lendo e me dissesse que também tinha gostado. Isso parece um sinal melhor de carinho do que um beijinho qualquer." 
"Mas, afinal, o que eu sei sobre amor e relacionamentos? Resposta: nada." 
"A maioria das pessoas não sabe o que realmente pensa até colocar no papel." 
"Sempre que comprar uma blusa nova ou algum creme para ficar bonita, vá e compre um livro na mesma hora. Também é importante embelezar a mente, não acha?"
"Por que meu nome soa tão mais bonito quando dito por ele? Não sei. Em seus lábios, meu nome parece um elogio." 

E aí, gostaram? Alguém já leu o livro?
Por hoje, é isso. Au revoir! 

04 novembro 2014

{Top Ten Tuesday} Autores que mais tenho na estante


Achei que já tivesse passado dessa fase de sumir daqui do blog. Nem para entrar aqui tive tempo direito. E com o ENEM agora, vim aqui correndo fazer o Top Ten dessa semana e já vou meter a cara nos livros de novo.
Hoje o desafio é dos autores que mais aparecem na minha estante, foi um pouco difícil ver isso, porque minha estante estão apenas alguns livros e vários livros estão guardados em lugares de difícil acesso.
Lembrando que esse é um projeto criado inicialmente pelo blog The Broke and the Bookish.

10. Lauren Kate: Eu simplesmente amo livros sobre anjos, e a série Fallen é maravilhosa! Mas ainda acho que Kate poderia ter tirado o mimimi todo e melhorado mais ainda a história.

9. Becca Fitzpatrick: Ainda com a temática de anjos, Fitzpatrick conquistou vários corações com o Patch, o anjo caído mais tentador de todos os tempos. hahah Juro, se tivesse mais livros da série, eu compraria na hora.

8. Oliver Bowden: Gosto muito de História e os livros da série Assassin's Creed são incrivelmente maravilhosos. Conheci um cara que jogava o game, pesquisei e descobri que tinha os livros. Comprei os livros para entender mais sobre o que ele conversava comigo e acabei amando a obra. Ezio ♥

7. Douglas Adams: Tenho todos os livros de O Guia dos Mochileiros das Galáxias, mas não li ainda. Comecei a ler o primeiro livro e tentei fazer do meu namorado um leitor iniciante com ele, parei de ler e emprestei, mas não obtive sucesso. (e não vou desistir!!)

6. George R. R. Martin: A peleja que eu tive para ganhar os livros está sendo a mesma para eu conseguir lê-los. Estou quase acabando o primeiro, mas não acaba! Até parei de ver a série, estava demorando muito para eu chegar nas partes mais fodas.

5. Markus Zusak: O primeiro livro que li do Zusak foi A Garota Que Eu Quero. Foi amor à primeira vista, me julguem, mas comprei por causa da capa. Depois A Menina Que Roubava Livros me conquistou e passei a ler os outros livros dele. Muito bom.

4. Gail Carson Levine: Pelo que pesquisei, Levine é a autora da série Disney Fadas. Sim, também gosto de fadas e não tenho vergonha disso. Tenho quase dez livros da série e são as coisas mais fofas do mundo!

3. P. C. Cast e Kristin Cast: Como não ter vários livros delas sendo que parece que elas não conseguem escrever poucos livros para uma série?! Só com House of Night são nove livros, até agora! Ainda tem os livros adicionais que elas escrevem sobre a série e outras séries, que são extremamente maravilhosas.

2. Stephen King: Meu maior orgulho foi comprar a série toda de Torre Negra por apenas 50 dilmas. Está na lista para ler, mas time que é good, nós não have.

1. Richelle Mead: A diva é a ruiva mais linda que mais aparece na minha estante. Academia de Vampiros e Bloodlines são séries com seis livros cada e daqui a alguns dias espero ter outra série dela. *-*

Esse foi meu TTT dessa semana, o que acharam? Qual o escritor que mai aparece na sua estante?

21 outubro 2014

{Top Ten Tuesday} Melhores livros que li em 2014 até agora


Até agora só consegui ler 30 livros (e mais alguns que comecei, mas ainda não terminei, como A Guerra dos Tronos), não é pouco nem muito. Pra mim está no meio termo, tendo em vista que esse ano eu tenho vestibular e tudo o mais.
Enfim, esses dias estava dando uma olhada em alguns blogs literários e achei o Top Ten Tuesday, inicialmente criado pelo blog The Broke and the Bookish, no blog da Roberta Krutzmann, Apenas um Trecho (o blog dela é lindo, visitem!). Lá, pelo que entendi, eles dão um tema para cada semana e nesse post, eles dizem qual é o próximo tema. Bom, como a boa vida de vestibulanda me permite, postarei a cada duas semanas. Tempo aqui é raridade.
Estou muito animada, e para começar escolhi o tema: dez melhores livros que li em 2014, e antes que vocês pensem "tá louca, cabeça? Estamos em outubro ainda, o ano não acabou, não!" vou explicar o porquê: como acho que não terei muito mais tempo para ler agora até o fim do ano por causa dos vestibulares e quero me dedicar extremamente a ler A Guerra dos Tronos, não vou ler mais outros livros. 
Chega de lero-lero, Ângela e vamos logo ao que interessa.

10. Todo Dia - Gente, que livro! Gostei muito da ideia que o Levithan quis passar no livro, que tem pouca explicação do que acontece com "A", mas a lição que ele nos dá é melhor que qualquer outra coisa. É simplesmente lindo! Todos têm que ler.

9. Peter Pan - Que julguem o quanto quiserem, mas eu amo Peter Pan e seu jeitinho arrogante. Infelizmente, não tinha lido o livro sobre a história dele, apenas visto filmes e lido, quando era criança, uma pequena história dele naquele livro da Disney: Clássicos Favoritos de Todos Os Tempos. Tenho ele até hoje, muito amor! ♥

8. Como Viver Eternamente - Gosto muito de livros que tem ação, e mesmo esse não tendo nada mais agitadinho, eu gostei muito dele. A história é contada por um garoto de onze anos que resolve escrever um livro antes de morrer de leucemia. Achei Sally uma verdadeira artista, ela escreveu como escreveria qualquer garotinho de onze anos. Simples, mas envolvente.

7. Extraordinário - Um livro extraordinário que todos deveriam ler. Um garoto que nasceu com o rosto deformado passa a ter suas primeiras experiências na escola e algumas crianças não reagem muito bem à ele. O livro é praticamente um tapa na cara da sociedade de lição de moral. Muito bom!

6. Claros Sinais de Loucura - Fiquei muito empolgada para ler esse livro e, praticamente, devorei ele. Sarah é uma garotinha que acha que está ficando louca, escreve em dois diários (um bobinho e outro que ela guarda seus pensamentos mais profundos), escreve cartas para o personagem de seu livro favorito e sua melhor amiga é uma planta. Karen escreveu um livro maravilhoso.

5. O Oceano no Fim do Caminho - Não tinha lido nenhum dos livros de Gaiman até ler esse. E simplesmente amei o jeito como o cara escreve e a história do livro. No começo achei que ele fosse meio doido, mas depois como ele é genial. Preciso de mais livros dele.

4. Quem É Você, Alasca? - Muitos não gostaram do livro do nosso querido João Verde (acabei ganhando ele por causa disso, meu primo não gostou e estava praticamente dando o livro para o primeiro que passasse na rua), mas eu gostei. Achei o começo meio parado, cansativo, mas depois que conhecemos Alasca tudo fica diferente. Queremos saber como ela é e o que ela vai fazer da próxima vez que for citada. E gostei muito da temática do livro.

3. Série Academia de Vampiros - Na verdade, eu reli os livros que faziam quatro anos que nem os abria. Sim, é uma das minhas séries favoritas e a ruiva da Richelle é uma diva de outro mundo por inventar uma história tão, mas tão diferente, original e brilhante. Dimitri e Rose ♥. Sem mais.

2. Laços de Sangue (Bloodlines) - Sim! É a série spin-off de Academia de Vampiros. Eu tinha acabado de ler o último livro de VA e já morrendo de tanto chorar (tanto pelo livro quanto pela saudade) que aí me lembrei que certa vez tinha lido uma resenha desse livro fui logo atrás saber como era. Comprei os quatro livros lançados aqui no Brasil no mês de setembro e amei ainda mais a Richelle por fazer isso. Pena que a série é composta por apenas seis livros, mas os dois últimos ainda não foram publicados aqui.

1. Os 13 Porquês - Tenho quase certeza que esse foi melhor livro que li em toda a minha vida. Podem dizer que é modinha, best-seller, YA, que eu não me importo. A lição que esse livro passa é uma coisa extraordinária. Acho que esse livro deveria ser leitura obrigatória nos colégios a partir do momento que as crianças passem a fazer brincadeiras de mal gosto com as outras. Esse é um livro que eu poderia reler quantas vezes fosse possível. Jay Asher foi espetacular!

Bom, esses foram meu top 10. O que vocês acharam? 

10 outubro 2014

Cazuza me dando conselhos

Cazuza
Voltando do cursinho com os fones quase no último volume - sei que isso é errado, mas quando era mais nova eu fazia isso e agora realmente preciso deles mais alto - cansada da voz do professor de física que acha que suas piadas são as melhores, começa a tocar Cazuza no meu celular. Podia ter tocado Arctic Monkeys, Frejat, The Pretty Reckless ou qualquer outro tipo de rock que eu goste, mas não, foi Cazuza, que há tempos não aparecia para mim. Engraçado como as pessoas que a gente menos espera, podem ser as que mais podem nos ajudar.
À dois anos atrás, eu sabia exatamente o que fazer da minha vida. À um ano atrás, eu estava extremamente perdida. Indo na ideia dos outros, vendendo meus sonhos tão baratos que eu mal conseguia acreditar. Esse ano foi o pior de todos. A maioria dos meu amigos, da minha idade, na faculdade. Meus amigos mais velhos me dando força, me perguntando o que eu gostaria de fazer.
Eu não sei mais.
Pensei em fazer escolhas absurdas. Não vou ser feliz assim. Pensei em fazer escolhas piores. É isso que eu quero. Não vai te dar dinheiro. Vendo Jequiti. Tudo bem, então.
E vocês devem estar se perguntando: o que o Cazuza tem a ver com suas escolhas?
Foi ouvindo algumas partes da música Vida Louca Vida que tudo clareou na minha mente. A vida é breve e também imensa e estou cansada de tanta babaquice, de tanta caretice. E a parte do refrão que tirou um peso das minhas costas:
"Vida louca vida
Vida breve
Já que eu não posso te levar
Quero que você me leve"

Não vou me perdoar se eu não tentar, vou me deixar levar. Hoje, arrisquei todas as minhas fichas.

01 outubro 2014

{Resenha} Aura Negra - Série Academia de Vampiros - Richelle Mead (VA.2)

Começo de mês com resenha! êeeee! Todos felizes.
Bom, quem me acompanha a algum tempo, já percebeu que as coisas aqui no blog estão mudando um pouco. Estou colocando mais coisas relacionadas a minha paixão pra vida inteira: livros. Sim, pois livros são tudo e como diz um velho sábio: livros são refúgios para escapar à vida. E gosto exageradamente de me refugiar neles. ♥ Mas não pensem que irei parar com meus textos, o blog ainda é pessoal, só posto o que gosto.
Enfim, hoje é resenha do segundo livro da série Academia de Vampiros, portanto, se você ainda estiver no primeiro livro ou nem tiver começado a ler a série já aviso que terá alguns poucos spoilers do primeiro livro. Leia a resenha dele aqui. Lembrando: não há spoilers do livro.

Sinopse: A Escola São Vladimir está em alerta após um ataque dos sanguinários Strigoi. Os Guardiões admirados por suas habilidades e seus grandes feitos, se preparam para entrar em ação. A escola envia seus alunos para um hotel de luxo e bem protegido, porém um imprevisto obriga Rose a deixar a segurança de seu lar e impedir que o pior aconteça. Apenas quando a vida de seus amigos está por um fio é que a heroína descobrirá força dentro de si. 
Editora: Nova Fronteira
Título original: Frostbite
Autora: Richelle Mead
Páginas: 304
Ano: 2010





Após a bagunça toda de Lissa e Rose descobrirem sobre Victor Dashkov e suas "travessuras" - ênfase nas aspas, pois ele é muito pior que isso! - e finalmente tendo seu devido fim numa prisão Moroi altamente segura, temos um pequeno momento de sossego. Pelo menos é o que achamos que iríamos ter. Mas sossego é uma coisa bem rara de ter nessa série.
Nós descobrimos no primeiro livro, que Lissa desenvolveu sua habilidade mágica com o espírito, uma magia que todos não faziam ideia que existia. Ela pode curar as pessoas, foi assim que Rose voltou dos mortos. Porém, como todas as coisas boas têm seus lados ruins, o espírito também tem. Quanto mais Lissa usa a magia, mais deprimida/louca ela fica. Mais um problema que Rose se sente no dever de protegê-la.
Falando em problemas... Depois dos incidentes com Victor, Rose e Dimitri - suspiros - vão à casa de uma família Moroi onde trabalha um guardião muito renomado e descobrem uma carnificina feita pelos Strigoi: uma família Moroi inteira e seus guardiões mortos. Todos ficaram ainda mais assustados quando passou a acontecer com outras famílias a mesma coisa. Inclusive a mãe de Mia Rinaldi, uma das que faziam parte das panelinhas de escola no outro livro que atormentava a vida de Rose e Lissa, ela passou por uma mudança muito grande depois disso, mas acaba fazendo uma burrada no fim do livro. O mundo Moroi vira um caos. Muitos foram para a Escola São Vladimir em busca de proteção. E vários guardiões do mundo todo foram para a escola, junto com seus Moroi, para fazerem um plano e deixar a todos mais tranquilos.
Com a chegada dos guardiões, conhecemos um personagem novo: a mãe de Rose. Janine Hathaway, a pessoa pela qual a Rose mais tem ressentimento e mágoa. Janine a deixou na escola muito nova e depois disso visitou a filha pouquíssimas vezes - tipo, muito pouco mesmo. Foi interessante ver as alfinetadas que uma dava na outra, porém triste ler os desabafos de Rose em relação a ela. Rose continua explosiva nesse livro, mas com todos os problemas entre os Moroi, seu foco está em proteger Lissa.

"Foi bom ver você também. Fiquei surpresa de você ter me reconhecido. Na verdade, quando vi que você estava no campus e nem se dera ao trabalho de me avisar, fiquei achando que você nem se lembrava mais da minha existência."
 A Escola decide fazer uma viagem de "férias" à uma estação de esqui, já que estão perto do Natal e por ser um lugar apenas para Moroi e Dampiros. Na estação, conhecemos mais um personagem: Adrian Ivashkov (). Conhecido por todos, tanto da os realeza quanto os que não são, por ser mulherengo, festeiro, mimado, audacioso, sem vergonha e sem juízo. Pouco depois descobrimos que ele é um personagem chave para competir lado a lado com Dimitri pela atenção de Rose - e claro que a nossa também.
Lissa está namorando Cristian Ozera, o que a deixa com pouco tempo para ficar com Rose, que não conta nada sobre os sentimentos que tem por Dimitri. Então Lissa fica meio que empurrando Rose para namorar com Mason, um dampiro bonitinho com quem Rose gosta de flertar - o que ela faz muito com vários, no primeiro livro ela ganha apelidos nada legais por causa disso -, mas não está interessada em namorar com ele. Porém, Tasha Ozera, tia de Cristian, meio que quer Dimitri, então Rose aceita "dar uma chance" a Mason, mas fica mais parecendo que ela está fazendo para fazer ciúme. 

"É impossível se forçar a amar alguém, eu me dei conta disso. O amor existe ou não existe."
 Bom, acontece muitas coisas no livro. O final é uma loucura, nos faz odiar Rose por abrir a boca mais que o necessário e depois nos faz ter admiração por ela. Lembrando: peguem um lenço. Você vai chorar. A diva ruiva melhora a cada livro, isso é certeza! Seus personagens evoluem, apesar de Lissa ter ficado meio apagadinha nesse livro. Fiquei com um pouco de raiva pelo que Richelle fez, mas entendi que foi mais uma lição para que todos ficassem mais alertas. Enfim, Dimitri está apaixonante (Adrian também!!!), mas sua resistência em relação a Rose faz com que a gente tenha vontade de bater nele. Rose, tempestuosa como sempre.

Gente, Adrian. Adrian vai te pegar e não vai deixar com que você esqueça dele nunca jamais. Esses tempos estou ouvindo muito Arctic Monkeys e uma música que me faz lembrar muito dele é Do I Wanna Know?

Vocês já leram? Beijos, seus lindos!
Au revoir!

26 setembro 2014

{Melhores Quotes} A Menina Que Roubava Livros

Vi um post parecido com esse no blog Livro de Capa Dura e pensei vou amar fazer isso lá no blog! Pronto, amei e vou fazer.
Vou colocar os melhores quotes - na minha opinião - dos livros que já li a algum tempo e os que acabei de terminar. Mas hoje, o livro da vez, será A Menina Que Roubava Livros, de Markus Zusak.


"Talvez esse seja um castigo justo para aqueles que não possuem coração: só perceber isso quando não podem mais voltar atrás."

"Com um sorriso desses, você não precisa de olhos."
"As palavras sempre ficam. Lembre-se sempre do poder das palavras. Quem escreve constrói um castelo, e quem lê passa a habitá-lo."
"Não resmungou nem gemeu nem bateu com os pés. Simplesmente engoliu a decepção e optou por um riso calculado - um presente dela para si mesma."

"Como a maioria dos sofrimentos, esse começou com uma aparente felicidade."
"Mas, afinal, será que é covardia reconhecer o medo?"
"Decididamente, eu sei ser animada, sei ser amável. Agradável. Afável. E esses são apenas os As. Só não me peça para ser simpática. Simpatia não tem nada a ver comigo."
"Imagine sorrir depois de levar um tapa na cara. Agora, imagine fazê-lo vinte e quatro horas por dia."
"O ser humano não tem um coração como o meu. O coração humano é uma linha, ao passo que o meu é um círculo, e tenho a capacidade interminável de estar no lugar certo na hora certa. A consequência disso é que estou sempre achando seres humanos no que eles têm de melhor e de pior. Vejo sua feiura e sua beleza, e me pergunto como uma mesma coisa pode ser as duas. Mas eles tem uma coisa que eu invejo. Que mais não seja, os humanos têm o bom senso de morrer." 
"Eis um pequeno fato: você vai morrer." 
Eu, simplesmente, amo esse livro. Quando li, achei que ia morrer desidratada de tanto chorar. Muitos não terminaram de ler o livro por causa da história "monótona", eu também quase parei de lê-lo, mas uma amiga quase me ordenou a terminá-lo e eu sabia que ele era/é muito interessante - por causa dos quotes que lia por aí. Enfim, super indico o livro. Muito bom. E sugiro comprar uma caixinha de lenços junto com o livro, confie em mim. E aí, gostaram? Tem algum quote que não esteja aqui e vocês gostam também? Coloque aqui nos comentários! Tenho uma página - Livrateria -, junto com uma amiga, que postamos vários quotes de vários livros. Vamos adorar postar mais! *-*

Por hoje é isso, au revoir!

21 setembro 2014

O eterno paradoxo de nós dois


Você reclama do meu jeito infantil. Eu digo que não sei ser de outra forma e que você é um chato. Você diz que preciso amadurecer. Eu digo que você é maduro demais. Você diz que eu sonho alto demais e me preocupo de menos. Eu digo que você sonha de menos e se preocupa demais. Você diz que sou organizada. Eu digo para não entrar no meu quarto. Você diz que sou muito emotiva, mas que entende que esse é o meu jeito. Eu digo que você se esconde, mas eu não entendo esse jeito seu. Você diz que eu reclamo muito de tudo. Eu digo que você reclama muito, e o pior é que é de coisas pequenas. Você diz que tenho amigos de menos. Eu digo que você tem amigos demais. Você diz que sou doida. Eu digo que faço o que gosto. Você diz que sou muito otimista, achando que meus pensamentos positivos possam mudar as linhas do universo. Eu digo que você é muito realista e um tanto pessimista, que se não fosse por isso, meus pensamentos positivos poderiam, sim, mudar o universo. Você reclama das minhas unhas grandes, às vezes. Eu digo para parar de roer as unhas e você faz cara de criança, sempre. Você diz que sou boba. Eu digo que um dia você vai se arrepender de não ser bobo comigo por dois minutos. Você diz que não sou santa. Eu digo que você poderia ser.
Você diz "eu te amo". Eu digo "amo você".

17 setembro 2014

{Resenha} Você Verá - Luiz Vilela

Hoje tem resenha para quem vai prestar o vestibular 2015 da UEMG (Universidade Estadual de Minas Gerais) ou para quem apenas gosta de contos.
Você Verá é uma das obras literárias que foram pedidas na UEMG e, como vou prestar também, resolvi fazer uma resenha do livro.

O livro é composto por 11 contos bem curtos. As 126 páginas são quase uma enganação, pois as páginas são grossas e as letras são grandes.

"Zoiuda" -> Esse primeiro conto apresenta uma lagartixa como uma personagem marcante. Seu papel é fazer companhia à um solitário professor de português. A vida desse professor é bem monótona, tanto no colégio quanto nos bares e quando a lagartixa some e aparece de novo, ele admite, mesmo relutante, que sem a presença dela "aquele apartamento ficara um pouco mais vazio". (p.11)

"Era aqui" -> Um homem vai à sua cidade natal com a namorada e mostra o lugar que há muito havia um campinho de futebol no qual jogava na infância. É sobre promessas mentirosas dos políticos da época e a saudade de seu tempo de criança. Um sabiá que canta também o faz lembrar de antigamente e o leva a fazer uma declaração de amor à sua namorada.


"O que cada um disse" -> Aqui, vemos uma perspectiva diferente de cada pessoa sobre o que um sujeito, aparentemente do bem, poderia ter feito. Uma senhora (bom, pelo menos, dá a impressão de ser) chega a comparar os humanos com florestas: "... você olha de fora, e a floresta é aquela maravilha; mas você entra, e lá dentro você dá com onças, cobras, escorpiões...". (p.20)

"Céu estrelado" -> O homem volta de carro para a sua cidade na noite da virada do ano e, como "propósitos de Ano-Novo", ele decide não correr. Isso faz com que a sua mulher ridícula, com quem ele conversa pelo celular, fique desesperada achando que ele vai chegar atrasado na sua casa cheia de pessoas que ele não quer ver. Ele encontra um tatu na estrada e o trata de uma maneira que nenhuma outra pessoa trataria o bichinho. Esse conto mostra muito das angústias do ser humano.

"Todos os anjos" -> Esse é o mais criativo, em relação à imaginação das crianças. É a conversa entre pai e filho, onde o filho acaba de sair da sua aula de catecismo. A história gira entorno da existência de anjos que o pai chega a compará-los com pássaros, minhocas e cobras voadoras, na época em que todos os bichos falavam. "... minhoca só falava na língua delas: o minhoquês." (p.42)

"O Bem" -> O conto mais longo do livro. Um advogado bem sucedido narra os acontecimentos de um desentupidor de privadas, chamado Bem, com quem começa a ter amizade. Aqui temos o conhecimento da crueldade humana, onde o narrador acaba tendo prazer em ouvir, pelo telefone, as desgraças que vêm a calhar sobre o pobre coitado. Mais desventuras acontecem quando o gato quebra um vaso de sua esposa e o cachorro de seu filho morre. Um dos melhores contos, na minha opinião.

"Quando fiz sete anos" -> O homem recorda-se de quando ganhara um presente do avó, um presente inútil, que não funcionava. Porém ficou tão feliz por ter ganhado algo de alguém que gostava tanto que até se comparou com um animal: "... fui para casa, a três quarteirões dali, voando como um alegre pássaro da manhã". (p.80)

"Corpos" -> Esse é bem mórbido, Luiz nos mostra sinais negativos da curiosidade humana: duas pessoas entram na internet para ver as fotos dos corpos estraçalhados em um acidente de avião. "Abra um porco e verás teu corpo, dizia minha avó." (p.85) dizem quando vêem um corpo de uma pessoa.

"Noite feliz" -> O conto trágico mostra história de uma mulher solitária numa noite de Natal. Ela prepara uma surpresa para seus parentes que (acha que) chamou para sua casa. Mas sente falta é do gatinho chamado Pretinho que sua família não levou. Luiz nos dá pouca informação sobre a história em si.

"Mataram o rapaz do posto" -> Aqui há um grande mal entendido sobre a morte do rapaz. Um gambá aparece na história, mas o que fede mesmo é - de novo - a crueldade do personagem que conta o que realmente aconteceu no posto.

"Você Verá" -> No conto que fecha o livro, temos um homem à espera de seu ônibus num bar de rodoviária em Brasília, no começo da capital. O senhor dono do bar se sente esperançoso em relação à cidade e ao Brasil, que diz que é "um país onde todos terão oportunidade, onde ninguém mais passará fome, ninguém mais precisará pedir esmola nas ruas" (p.108)


Achei o livro muito focado no tempo e nos animais. Todos os contos têm alguma comparação ou falando algo sobre eles. E sobre o tempo, Luiz está sempre dizendo algo que aconteceu ou que vai acontecer, que sente saudades...
Espero que meus concorrentes não leiam isso! haha

15 setembro 2014

{Resenha} O Beijo das Sombras - Série Academia de Vampiros - Richelle Mead (VA.1)

Estava pensando se fiz errado de falar sobre a série Academia de Vampiros inteira aqui antes de fazer a resenha sobre seus livros separadamente, mas cheguei a conclusão que se foi errado, tenho uma desculpa: eu estava muito empolgada com os livros e precisava desabafar minha alegria.
No post que falei sobre todos os livros não tem nenhum spoiler (o que foi muito difícil de se fazer) e vou tentar fazer o mesmo nas resenhas que farei de cada um dos livros.


Para começar: é uma série vampiresca, sim, e não, não tem nada a ver com Crepúsculo. Os vampiros de VA não brilham like a bitch, não são as coisas mais fortes do mundo e não são imortais.
Haters gonna hate, mas eu não li os livros de Crepúsculo, apenas vi os filmes. As únicas séries que li que têm vampiros foi House Of Night e Evernight, e também não são nada parecidos. Bom, isso foi apenas para esclarecer algumas coisas. Bora pra resenha!

No livro, temos três tipos de "vampiros". Vou explicar bem detalhado, pois muitas das vezes, as pessoas não entendem muito bem essa parte da história no primeiro livro (aliás, li algumas resenhas que essa explicação não tinha nada a ver com a coisa em si). Existem os Moroi, que são vampiros que bebem sangue humano apenas para sobreviver, têm o poder de manejar um dos quatro elementos e o sol apenas causa certa irritação neles; os Dampiros, que são meio vampiros, meio humanos, eles têm as melhores qualidades das duas raças, podem ficar sob o sol, não bebem sangue e desde crianças são destinados a se tornarem guardiões dos Moroi por um simples motivo: os Strigoi. Os Strigoi são vampiros do mal, são imortais, queimam no sol, bebem sangue como se fosse água, porém o sangue que os deixam mais fortes é o sangue Moroi. E como os Moroi são uns bunda-mole, eles não se protegem e precisam dos guardiões para fazer esse trabalho. Assista o filme no minuto 4:50, a partir daí, a Rose explica como funciona. (P.S.: o filme não tem muita coisa a ver com o livro no começo, não julguem.)

“Não importa o que aconteça no nosso mundo, algumas verdades básicas sobre vampiros não mudam jamais. Os Moroi são vivos; os Strigoi são mortos-vivos. Os Moroi são mortais; os Strigoi são imortais. Os Moroi nascem Moroi; os Strigoi se transformam em Strigoi.”
O início do livro mostra a vida de Lissa e Rose fugitivas, vivendo no mundo humano. E só iremos entender o real motivo de ambas fugirem da escola mais na metade do livro, pois elas guardam muito bem esse segredo. Mas, às vezes, há algumas coisas que "descobrimos" antes de Rose, o que dá uma visão meio tapada dela, mas isso muda muito no decorrer da história.
O sistema Moroi é uma monarquia. A rainha está lá, os membros do seu conselho também. Existe 12 famílias reais, Lissa Dragomir é uma princesa Moroi, última da linhagem Dragomir. Todos os seus parentes já morreram, inclusive seu pais e seu irmão, num recente acidente de carro em que as únicas a saírem misteriosamente vivas, foram ela e Rose. As duas são melhores amigas desde que se conheceram na São Vladimir, que é uma escola especializada para a formação de Moroi e seus guardiões, onde estudam. Rose Hathaway é uma dampira, que está destinada a ser guardiã de Lissa.
Depois de dois anos fora da escola, os guardiões da São Vladimir encontram Rose e Lissa e as levam de volta. E então conhecemos o glorioso e reservado guardião russo, Dimitri Belikov, conhecido como um deus por ser muito bom em matar os Strigoi. Ah, antes que fiquem imaginando coisas, ele não se gaba disso, ele apenas é bom no que tem que fazer.
Com direito à meninas mimadas e panelinhas, chegamos à escola e logo começa um bullying violento contra Lissa e Rose. E isso faz com que volte o sentimento de Rose que ela deve proteger Lissa e que o perigo "maior" está dentro da escola. Mas depois de dois anos sem treinos pesados, Rose tem que alcançar seus colegas aprendizes para poder formar a tempo. É aí que começa a longa história de Dimitri e Rose. Ele será seu instrutor e teremos várias partes do livro com romances, mas sempre reservado, pois é meio que proibido esse relacionamento deles.
E como eu disse no post anterior de VA, esse não é um livro de romance. Tem romance? Sim. Muito? Sim, mas não é o principal tema. É contada a história de Rose, não a de Rose e Dimitri.
Lissa e Rose possuem uma misteriosa e forte ligação psiquica que faz com que Rose - literalmente - consiga sentir Lissa. E Lissa passa a ser uma nova preocupação, pois na idade dela, ela já deveria ter alguma habilidade com magia.


Rose é sarcástica, respondona, malcriada e engraçada, além de fazer as coisas sem pensar muito. E algumas besteiras da personagem podem fazer você se irritar com ela, fora a obsessão - insuportável em alguns momentos - que ela tem de proteger Lissa. Mas Rose é decidida, forte, com tiradas sensacionais que faz você se apaixonar por ela. Agora, eu dou graças a deus pelo livro ser escrito na visão de Rose e não na de Lissa. Ela é muito mimimi, é frágil demais (assim como todos os Moroi) e tudo que faz, depende da Rose. Mas com o decorrer do tempo, ela pode te surpreender muito com sua mudança. Lissa acaba se aproximando de Christian Ozera, que tem o humor parecido com o de Rose, e é ótimo os diálogos com os dois.
Só posso dizer isso e que é uma história viciante e intrigante que mistura drama, mistério, problemas atuais, romance, terror e o humor genial da Richelle Mead. Apesar de toda a complicação esquisita que expliquei sobre a sociedade dos vampiros e a realeza, a história é perfeitamente contada e fácil de entender - no livro, pelo menos.


Alguém já leu os livros da série? Conta aí o que achou. ;)

07 setembro 2014

De 18, para 8


      Querida Ângela de dez anos atrás,

Oi, magrela. Tudo bem? Seus joelhos ainda estão ralados? Bem provável que esteja ótimo aí e muito mais provável que seus joelhos estejam ralados também. Antes de qualquer conclusão, te aviso que quem te escreve é sua "eu" do futuro. Dez anos depois. Você com oito, agora com dezoito. Não se assuste com isso (o que acho bem difícil em comparação às coisas que você pensa), peço apenas que preste atenção no que vou lhe dizer. Uma hora ou outra você vai acabar sabendo disso tudo, mas não vejo problema em contar coisas que você certamente precisava saber antes.

Mesmo tendo oito anos, você é uma garotinha esperta e tem de usar isso como arma, ok? Use sua intuição com as amizades de agora e com as futuras, ela não costuma falhar. Não queira confrontá-la. E já te aviso que muitos dos seus amigos sairão da sua vida, mas mesmo assim, muitos ainda virão. Alguns ótimos, outros nem tanto. Mas todos importantíssimos para seu crescimento como pessoa. Ah, e você terá amigos que nunca imaginou ter: os melhores!

Ângela, te peço que não dê muita importância para o que os outros pensam, falam ou deixam de falar. Você ainda vai mudar muito, acredite nisso firmemente. Muito de nós duas vai se perder com o tempo, mas não se preocupe, a tagarelice de quando estamos nervosa e o péssimo senso de humor vão continuar conosco. E mesmo com isso, nunca se esqueça, as pessoas realmente gostam de te ter por perto. Não pense muito o contrário.

Aliás, crescer nem é tão horrível assim. Claro que nós não iremos pegar o carro logo que a permissão chegar, você sabe como seu - nosso - pai é. Seu corpo vai mudar muito, assim como sua cabeça. As coisas ficam mais realistas, não dá para pedir para as fadas e os duendes te ajudarem para sempre. Uma pessoa que vai te ajudar muito a achar suas coisas perdidas é São Longuinho. Temos uma longa lista de agradecimentos à ele. Não fique triste com suas notas na escola, saiba que nossos pais vão brigar muito conosco por causa disso, mas é para o bem maior. Eu sei que bate aquela preguiça, mas no final dá certo, você é esforçada quando quer, basta acreditar no potencial que tem.

Nessa idade você finalmente estará demonstrando interesse por livros, então peço que você leia, leia e leia. Leia até as bulas dos remédios que você tem que tomar. Um hábito que temos até hoje é ler, mergulhar, viajar e se desmanchar dentro dos livros. Siga sua intuição novamente, pois você encontrará livros com histórias incríveis que virão neles. Ah, junte dinheiro para comprar uma estante, estou cansada de "roubar" caixotes de feira. E junte também para comprar mais livros, mamãe e papai não lhe dará livros sempre que tiver promoções maravilhosas. E, consequentemente, com toda essa leitura, você vai começar a escrever e lhe peço que nunca pare.

E em relação à sua vida amorosa, logo, logo você deve descobrir que os garotos da sua idade são muito imaturos. A medida que você crescer, outros garotos aparecerão e te deixarão nas nuvens, mas também vão te decepcionar. Menos um. E quando esse "um" chegar, você vai saber, acredite. Apesar dos meios inesperados pelos quais ele vai entrar na sua vida, tudo no fim vai valer a pena e ele vai te fazer muito feliz.

Sobre seu corpo, não se preocupe tanto. Não que você vá se preocupar durante os próximos oito anos, mas tente comer um pouco menos bobeira, eu agradeceria muito hoje. Isso inclui seu cabelo, você ainda não perdeu a mania de cortá-lo sempre que dá. Você não vai acreditar no que eu fiz com nosso cabelo no início do ano, ficou maravilhoso! E sobre seus dentes, iremos muito ao dentista, coisa que odiamos, mas logo você vai parar de usar esse aparelho, mas também vai valer a pena.

Antes de mais nada, tente não ficar muito em dúvida em qual curso você gostará de fazer quando crescer. Muitos vão te pressionar e você vai passar noites te odiando por ser tão indecisa. Brincar com as cachorras vai te fazer muito feliz, mas não dá para fazer só isso.

Beijos,

Ângela de dez à frente.

P.S.: Pai e mãe não estarão aqui para sempre, lembre sempre disso.


02 setembro 2014

Sobre Academia de Vampiros

Sinceramente, eu estou agoniada. O mês de agosto foi mês de fotos de livros, mas também foi mês de apenas livros. Sim, livros específicos. Sendo um pouco mais precisa, hoje vou desabafar sobre a saga Academia de Vampiros, da Richelle Mead.

Foi mais forte que eu e ainda está dentro de mim. Simplesmente não me deixa seguir em frente. Não consigo ler nada e, quando tento, é horrível. Sempre que abro um livro, é como se eu esperasse ler a continuação do outro livro, mas não é e acabo achando o outro livro uma bosta. Eu sei, essa é a tal da ressaca literária.


Vai ficar bem extensa a resenha, mas são seis livros para tentar falar sem nenhum spoiler. Vocês não têm ideia do quanto é difícil falar desses livros. As sinopses dos livros são bem fracas e fazem parecer tudo bobinho e clichê, não mostrando o quanto a história é rica e maravilhosa. Ah, e não é romance. Se tem romance? Tem. Muito? Muito. É o principal tema? Não. Não é a história de Rose e Dimitri. É a história de Rose.

Tem amizade, tem traição de todo tipo de gente, política, psicopatas para todos os lados, depressão, amor e bêbados. Olha só, você nem precisa ler essa resenha. Esqueça isso e vá logo ler os livros, porque nada que eu disser vai mostrar realmente como essa série é incrível!

"Eu tinha um acordo permanente com deus. Concordara em acreditar na existência dele, contanto que ele me deixasse dormir até tarde aos domingos."
É bem difícil, mas vou tentar explicar para que vocês saibam mais ou menos como é. Na história temos duas raças de vampiros. Os Moroi que são vampiros do "bem", não matam e bebem sangue apenas para sobreviver. E os Strigoi que são vampiros do mal, imortais, imorais e só querem poder (isso não acontece por escolha, é da natureza deles). Temos também os dampiros, que são meio vampiros e meio humanos e possuem as melhores qualidades das duas raças (e eles não bebem sangue, apenas comida comum). Eles são treinados a vida inteira para proteger os Moroi de possíveis ataques Strigoi. É claro que essa é uma explicação bem simplificada, a coisa toda é bem mais complicada que isso.

Os Moroi têm uma sociedade monárquica. Há a rainha, as pessoas da realeza e as pessoas que não são da realeza. E como todo sistema, ele é completamente injusto para alguns, tem muita corrupção e muita coisa acontecendo por debaixo dos panos. Lissa Dragomir é uma Moroi que faz parte da realeza, que é bem diferente da que conhecemos, e é a última da linhagem Dragomir. Ela é aquela típica menina doce, meiga e sofre muito com problemas de depressão. Rose Hathaway - a protagonista e melhor amiga de Lissa - é uma dampira, que treina desde sempre para ser guardiã da amiga. Ela é o total oposto de Lissa, rebelde e boa de briga.

Bom, o livro O Beijo das Sombras começa com Rose e Lissa foragidas, vivendo entre os humanos há dois anos. Elas acabam sendo "pegas" pelos guardiões da Academia St. Vladimir (nome da série Academia de Vampiros) e voltam para a escola. Mesmo com o clima estudantil com total direito a panelinhas e garotas populares e invejosas, Rose e Lissa ainda estão cercadas pelo lado sombrio da história. Há algo muito errado com as duas, uma magia poderosa e desconhecida as ronda. E basicamente esse é o resumo chato e sem graça dos seis livros, que são maravilhosos.


Minha sincera opinião

O que mais gostei e achei super interessante na série é que ela é contínua. Não tem um único mistério para os seis livros que só vai ser desvendado no último livro. É tipo a vida, coisas acontecem e depois são resolvidas. Mas essas coisas têm consequências que geram mais problemas e assim por diante. Até o sexto livro. E você se pergunta: como diabos eles se metem em tanta confusão?

Vou falar a verdade, a escrita da Richelle nos primeiros livros estava um pouquinho ruim e os mistérios estavam muito óbvios para Rose e nós (leitores) descobríamos as coisas primeiro que ela. Razões para ela ter feito algumas coisinhas sem noção.

E mesmo com esse ponto, minha vida teve fim depois que comecei a reler os livros. Foram 20 dias, 2.417 páginas e algumas noites praticamente em claro. O segundo livro foi muito rápido. O terceiro foi ótimo, porém paradinho. Mas o fim foi tipo: Como assim?! Não pode! Não pode ser! Minha vida acabou, nada mais tem sentido. Então, a partir dele, as coisas ficam mais sérias, muito mais realista e Richelle melhorou bastante a escrita.

Acontece todo tipo de coisa com todos os personagens do livro. É tanta reviravolta! E Richelle consegue evoluir seus personagens de maneira incrível e não os deixa perder a essência de antes. Rose era uma bitch de carteirinha e bem que mereceu seus apelidos no primeiro livro, mas o tanto que ela cresce é surpreendente. Todos os personagens, os bons, os ruins, os mais ou menos, ela prestou atenção em cada um deles.

Uma coisa bem chata, é que todo mundo (todo mundo mesmo) idolatra Rose. Ela é foda? É. Linda? Também. Mas ela tem uma personalidade muito forte (não é tanto problema assim, mas o resto é), é egoísta, arrogante e é simplesmente inacreditável que todo mundo é totalmente compreensível com ela a todo momento. Ela vive pisando em Adrian e ele ainda faz de tudo para ela. Tirando Christian, que não engole Rose e sempre a contraria.

Claro, dá para entender que Rose faz o que faz sempre para proteger seus amigos e muitas das vezes os colocam na frente de seus próprios interesses. Mas eles só têm tantos problemas porque ela os coloca nessas situações na maioria das vezes. Alguns jogam isso na cara dela, o que é bom.

E Dimitri. Ah, o Dimitri. Como só o vemos através dos olhos de Rose, ele é aquele cara sexy, reservado, que te quer mais que tudo, mas não pode. O que nós sabemos sobre ele é o que ela pensa e o que ela vê. Mas Dimitri não interage muito na história, o que deixa o personagem e o romance proibido um pouco a desejar. Eu torcia muito para os dois, mesmo com a falta do Dimitri. E tudo fica melhor no sexto livro, que a interação de Dimitri vem em peso e nós o conhecemos muito melhor.

A série acaba com algumas questões abertas e acho que Richelle fez isso por causa do spin-off Bloodlines, que conta a continuação da história, mas na visão de outra personagem. Aliás, já comprei e logo mais farei a resenha de todos os livros de AV e de Bloodlines.

Vish! Ficou bem grande. Hahah Leram isso tudo?

Au revoir!

30 agosto 2014

Dando uma de "fotógrafa" - parte II

Eitaaa! Este mês só vai ter foto. Hoje tem as outras quinze fotos do Picture Challenge no Instagram que expliquei como funciona aqui e a primeira parte está aqui

Google

Hoje foi o último dia do desafio e me diverti bastante. Li livros que eu amo e que não lia a muito tempo. Foi lindo. Não gosto de enrolar muito, então vambora!






16. Bichinhos.
Outro livro da minha infância. Escolhi esse, pois acho que é o único livro que tenho que há algum bichinho na capa!
















Escolhi o da Fernanda Torres porque acho a capa bonitinha, nem li ele ainda, mas está na (enorme) lista de livros para ler. 














Foi difícil escolher. Posso não parecer, mas com livros sou a pessoa mais chorona do mundo. Tipo manteiga derretida mesmo! Então peguei A Menina que Roubava Livros não porque foi um livro que me fez simplesmente chorar. Com ele, eu chorei desesperadamente, quase louca, chorei como criança e não parava de soluçar. Enfim, pelo menos, foi apenas nas últimas trinta páginas. Haha









Já fui mais empolgada com marcadores, hoje não sou mais. Esses dias estava marcando os livros com um cordãozinho que encontrei e achei bonitinho. Esses são marcadores antigos de livrarias e sebos.











20. Seres Sobrenaturais!
Série Hush Hush, essa não tinha como não ser a escolha mais adequada para o tema. Não sou lá muito religiosa, mas tenho um relacionamento estável com ficções sobre anjos (caídos, ok?). E, cá entre nós, quem, em sã consciência, recusaria um Patch da vida?!?! Impossível.











21. Um romance
Não o li, mas uma amiga disse que é um amor (e triste também).










Esse foi o desafio mais fácil de todos! John Green está conquistando a galera com seu jeito de escrever e suas histórias. Não importa se alguém fala mal, não importa se não é um clássico da literatura, o que realmente importa é que o cara tá fazendo o povo, pelo menos, começar a ler alguma coisa. E daí que é modinha?! Leia e, se gostar, leia outros também! Se não gostar procure um que a história parece te agradar. É tão simples ler. Já dizia o mestre: "O verdadeiro analfabeto é aquele que sabe ler, mas não lê." 










23. Uma livraria ou a sua estante.
Meu projeto de estante está bem desorganizado, então decidi colocar minha estantezinha.














24. O gordo e o magro.
"A Garota que Eu Quero" não é o livro mais "magro" que tenho, mas é um dos. E "A Tormenta das Espadas" é, sem dúvida nenhuma, o mais goooordo!












25. Um clássico.
Presente da queridinha (Vi), e não teria outro livro mais viajado que esse para eu lembrar dela. Álvares de Azevedo morreu jovem e, quando jovem, tinha a imaginação mais fértil e louca que qualquer pessoa naquela época! Ótimo livro!













26. Um livro de contos ou poesia. Eu era muito nova quando comprei Formaturas Infernais e tive um pouco de medo depois que li seus contos. Tenha certeza, sempre olhava para trás quando estava sozinha. Haha

















27. Escolhe uma cor.
 Azul, porque sim!

















28. Agora um arco-íris.
















29. Meu cantinho.
Na verdade, tudo quanto é espaço que me caiba, eu leio. Mas minha cama é o lugar que mais dedicado a esse fim.















30. A última frase de um livro.
Escolhi Laços de Espírito, da Richelle Mead, porque é um dos livros da série que eu mais gosto. E também porque esse final é tão surpreendente quanto engraçado.








Essas foram as fotos do meu desafio e, como disse, gostei muito de fazer ele, pois desenterrei uns livros bem bacanas que eu tenho. Gostaram?

Au revoir.

15 agosto 2014

Dando uma de "fotógrafa" - parte I

Já vou logo avisando que o parentese do "fotógrafa" é por que não sou nada boa para fotografar, mas comecei um projeto de fotografia e resolvi colocar as fotos aqui.


No começo do mês comecei um projeto de fotográfico no Instagram, e fui lá eu toda alegre para bater retratos - ai, Ângela, que coisa de gente velha. Ei, na minha época ainda se batiam retratos! E nem sou tão velha - dos my precious meus livros lindos e estou firme e forte ainda. Hoje vou colocar as fotos dos quinze primeiros dias e dia trinta, colocarei mais quinze. Bom, chega da minha pequena enrolação e bora pros retratos!

"Of course I have secrets." Can You Keep A Secret?, Sophie Kinsella

Comprei porque achei a capa bonita e depois que li, amei a série!

Calafrio, de Maggie Stiefvater, é muito bom e pouco conhecido. Vale a pena lê-lo.

"Marina,
A garota que eu quero
Para sempre
Tocada pelas sombras
Crescendo
Em chamas."

"Valentina: a herdeira da magia". Esse é o livro da minha infância! Toda criança deveria lê-lo.

Vi o filme antes de ler o livro e foi bom eu ter feito isso porque o livro me surpreendeu muito! Não li a saga Crepúsculo, mas esse livro da Meyer é incrível.

Não tenho um autor favorito, às vezes um escritor bom pode escrever um livro ótimo e depois um livro bosta. Acontece. Escolhi o da Richelle Mead porque comprei achando que a história seria interessante, mas é maravilhosa! P.S.: não comparem com o filme. 

Quem nunca quis morar na Terra do Nunca?

Confesso que a história é até legal, mas a Alyson enrola muuuuito. Se não fosse isso, tinha tudo para ser uma série perfeita. 

Não tenho vergonha de nenhum livro que li, mas este foi o pior de todos. Comprei quanto estava no ensino fundamental, (posso dizer que usei algumas dicas) mas não lia perto de ninguém nem levava para lugar algum.

Na verdade, quando comecei a me interessar por leitura, foi com os livros das Desventuras em Série, mas o que mais li foram livros de fadas (Tinker Bell ❤) que, aliás, tenho vários! 

Gargalhadas garantidas! Haha

Sangue e Chocolate é um livro sobre lobos, e livros sobre lobos sempre me prendem. A história é bem legal e tem o filme também, mas não é totalmente fiel ao livro.

A história é muito boa, mas a capa... 

Não tenho muito costume de ouvir músicas enquanto leio, e quando ouço é sempre aquele tipo de música que não tira tanto a minha atenção na leitura que estou fazendo. Então, lembrei que tinha um livro que fazia menção em musicas e peguei ele para fazer a foto.


Essas foram as fotos que postei no meu Instagram para o desafio, que expliquei como é feito aqui. Ficou um pouco grande, por causa das fotos, mas o que vale é a intenção. Está fazendo o desafio também? Coloque o link do seu Instagram nos comentários para eu ver suas fotos.

Au revoir!