21 outubro 2014

{Top Ten Tuesday} Melhores livros que li em 2014 até agora


Até agora só consegui ler 30 livros (e mais alguns que comecei, mas ainda não terminei, como A Guerra dos Tronos), não é pouco nem muito. Pra mim está no meio termo, tendo em vista que esse ano eu tenho vestibular e tudo o mais.
Enfim, esses dias estava dando uma olhada em alguns blogs literários e achei o Top Ten Tuesday, inicialmente criado pelo blog The Broke and the Bookish, no blog da Roberta Krutzmann, Apenas um Trecho (o blog dela é lindo, visitem!). Lá, pelo que entendi, eles dão um tema para cada semana e nesse post, eles dizem qual é o próximo tema. Bom, como a boa vida de vestibulanda me permite, postarei a cada duas semanas. Tempo aqui é raridade.
Estou muito animada, e para começar escolhi o tema: dez melhores livros que li em 2014, e antes que vocês pensem "tá louca, cabeça? Estamos em outubro ainda, o ano não acabou, não!" vou explicar o porquê: como acho que não terei muito mais tempo para ler agora até o fim do ano por causa dos vestibulares e quero me dedicar extremamente a ler A Guerra dos Tronos, não vou ler mais outros livros. 
Chega de lero-lero, Ângela e vamos logo ao que interessa.

10. Todo Dia - Gente, que livro! Gostei muito da ideia que o Levithan quis passar no livro, que tem pouca explicação do que acontece com "A", mas a lição que ele nos dá é melhor que qualquer outra coisa. É simplesmente lindo! Todos têm que ler.

9. Peter Pan - Que julguem o quanto quiserem, mas eu amo Peter Pan e seu jeitinho arrogante. Infelizmente, não tinha lido o livro sobre a história dele, apenas visto filmes e lido, quando era criança, uma pequena história dele naquele livro da Disney: Clássicos Favoritos de Todos Os Tempos. Tenho ele até hoje, muito amor! ♥

8. Como Viver Eternamente - Gosto muito de livros que tem ação, e mesmo esse não tendo nada mais agitadinho, eu gostei muito dele. A história é contada por um garoto de onze anos que resolve escrever um livro antes de morrer de leucemia. Achei Sally uma verdadeira artista, ela escreveu como escreveria qualquer garotinho de onze anos. Simples, mas envolvente.

7. Extraordinário - Um livro extraordinário que todos deveriam ler. Um garoto que nasceu com o rosto deformado passa a ter suas primeiras experiências na escola e algumas crianças não reagem muito bem à ele. O livro é praticamente um tapa na cara da sociedade de lição de moral. Muito bom!

6. Claros Sinais de Loucura - Fiquei muito empolgada para ler esse livro e, praticamente, devorei ele. Sarah é uma garotinha que acha que está ficando louca, escreve em dois diários (um bobinho e outro que ela guarda seus pensamentos mais profundos), escreve cartas para o personagem de seu livro favorito e sua melhor amiga é uma planta. Karen escreveu um livro maravilhoso.

5. O Oceano no Fim do Caminho - Não tinha lido nenhum dos livros de Gaiman até ler esse. E simplesmente amei o jeito como o cara escreve e a história do livro. No começo achei que ele fosse meio doido, mas depois como ele é genial. Preciso de mais livros dele.

4. Quem É Você, Alasca? - Muitos não gostaram do livro do nosso querido João Verde (acabei ganhando ele por causa disso, meu primo não gostou e estava praticamente dando o livro para o primeiro que passasse na rua), mas eu gostei. Achei o começo meio parado, cansativo, mas depois que conhecemos Alasca tudo fica diferente. Queremos saber como ela é e o que ela vai fazer da próxima vez que for citada. E gostei muito da temática do livro.

3. Série Academia de Vampiros - Na verdade, eu reli os livros que faziam quatro anos que nem os abria. Sim, é uma das minhas séries favoritas e a ruiva da Richelle é uma diva de outro mundo por inventar uma história tão, mas tão diferente, original e brilhante. Dimitri e Rose ♥. Sem mais.

2. Laços de Sangue (Bloodlines) - Sim! É a série spin-off de Academia de Vampiros. Eu tinha acabado de ler o último livro de VA e já morrendo de tanto chorar (tanto pelo livro quanto pela saudade) que aí me lembrei que certa vez tinha lido uma resenha desse livro fui logo atrás saber como era. Comprei os quatro livros lançados aqui no Brasil no mês de setembro e amei ainda mais a Richelle por fazer isso. Pena que a série é composta por apenas seis livros, mas os dois últimos ainda não foram publicados aqui.

1. Os 13 Porquês - Tenho quase certeza que esse foi melhor livro que li em toda a minha vida. Podem dizer que é modinha, best-seller, YA, que eu não me importo. A lição que esse livro passa é uma coisa extraordinária. Acho que esse livro deveria ser leitura obrigatória nos colégios a partir do momento que as crianças passem a fazer brincadeiras de mal gosto com as outras. Esse é um livro que eu poderia reler quantas vezes fosse possível. Jay Asher foi espetacular!

Bom, esses foram meu top 10. O que vocês acharam? 

10 outubro 2014

Cazuza me dando conselhos

Cazuza
Voltando do cursinho com os fones quase no último volume - sei que isso é errado, mas quando era mais nova eu fazia isso e agora realmente preciso deles mais alto - cansada da voz do professor de física que acha que suas piadas são as melhores, começa a tocar Cazuza no meu celular. Podia ter tocado Arctic Monkeys, Frejat, The Pretty Reckless ou qualquer outro tipo de rock que eu goste, mas não, foi Cazuza, que há tempos não aparecia para mim. Engraçado como as pessoas que a gente menos espera, podem ser as que mais podem nos ajudar.
À dois anos atrás, eu sabia exatamente o que fazer da minha vida. À um ano atrás, eu estava extremamente perdida. Indo na ideia dos outros, vendendo meus sonhos tão baratos que eu mal conseguia acreditar. Esse ano foi o pior de todos. A maioria dos meu amigos, da minha idade, na faculdade. Meus amigos mais velhos me dando força, me perguntando o que eu gostaria de fazer.
Eu não sei mais.
Pensei em fazer escolhas absurdas. Não vou ser feliz assim. Pensei em fazer escolhas piores. É isso que eu quero. Não vai te dar dinheiro. Vendo Jequiti. Tudo bem, então.
E vocês devem estar se perguntando: o que o Cazuza tem a ver com suas escolhas?
Foi ouvindo algumas partes da música Vida Louca Vida que tudo clareou na minha mente. A vida é breve e também imensa e estou cansada de tanta babaquice, de tanta caretice. E a parte do refrão que tirou um peso das minhas costas:
"Vida louca vida
Vida breve
Já que eu não posso te levar
Quero que você me leve"

Não vou me perdoar se eu não tentar, vou me deixar levar. Hoje, arrisquei todas as minhas fichas.

01 outubro 2014

{Resenha} Aura Negra - Série Academia de Vampiros - Richelle Mead (VA.2)

Começo de mês com resenha! êeeee! Todos felizes.
Bom, quem me acompanha a algum tempo, já percebeu que as coisas aqui no blog estão mudando um pouco. Estou colocando mais coisas relacionadas a minha paixão pra vida inteira: livros. Sim, pois livros são tudo e como diz um velho sábio: livros são refúgios para escapar à vida. E gosto exageradamente de me refugiar neles. ♥ Mas não pensem que irei parar com meus textos, o blog ainda é pessoal, só posto o que gosto.
Enfim, hoje é resenha do segundo livro da série Academia de Vampiros, portanto, se você ainda estiver no primeiro livro ou nem tiver começado a ler a série já aviso que terá alguns poucos spoilers do primeiro livro. Leia a resenha dele aqui. Lembrando: não há spoilers do livro.

Sinopse: A Escola São Vladimir está em alerta após um ataque dos sanguinários Strigoi. Os Guardiões admirados por suas habilidades e seus grandes feitos, se preparam para entrar em ação. A escola envia seus alunos para um hotel de luxo e bem protegido, porém um imprevisto obriga Rose a deixar a segurança de seu lar e impedir que o pior aconteça. Apenas quando a vida de seus amigos está por um fio é que a heroína descobrirá força dentro de si. 
Editora: Nova Fronteira
Título original: Frostbite
Autora: Richelle Mead
Páginas: 304
Ano: 2010





Após a bagunça toda de Lissa e Rose descobrirem sobre Victor Dashkov e suas "travessuras" - ênfase nas aspas, pois ele é muito pior que isso! - e finalmente tendo seu devido fim numa prisão Moroi altamente segura, temos um pequeno momento de sossego. Pelo menos é o que achamos que iríamos ter. Mas sossego é uma coisa bem rara de ter nessa série.
Nós descobrimos no primeiro livro, que Lissa desenvolveu sua habilidade mágica com o espírito, uma magia que todos não faziam ideia que existia. Ela pode curar as pessoas, foi assim que Rose voltou dos mortos. Porém, como todas as coisas boas têm seus lados ruins, o espírito também tem. Quanto mais Lissa usa a magia, mais deprimida/louca ela fica. Mais um problema que Rose se sente no dever de protegê-la.
Falando em problemas... Depois dos incidentes com Victor, Rose e Dimitri - suspiros - vão à casa de uma família Moroi onde trabalha um guardião muito renomado e descobrem uma carnificina feita pelos Strigoi: uma família Moroi inteira e seus guardiões mortos. Todos ficaram ainda mais assustados quando passou a acontecer com outras famílias a mesma coisa. Inclusive a mãe de Mia Rinaldi, uma das que faziam parte das panelinhas de escola no outro livro que atormentava a vida de Rose e Lissa, ela passou por uma mudança muito grande depois disso, mas acaba fazendo uma burrada no fim do livro. O mundo Moroi vira um caos. Muitos foram para a Escola São Vladimir em busca de proteção. E vários guardiões do mundo todo foram para a escola, junto com seus Moroi, para fazerem um plano e deixar a todos mais tranquilos.
Com a chegada dos guardiões, conhecemos um personagem novo: a mãe de Rose. Janine Hathaway, a pessoa pela qual a Rose mais tem ressentimento e mágoa. Janine a deixou na escola muito nova e depois disso visitou a filha pouquíssimas vezes - tipo, muito pouco mesmo. Foi interessante ver as alfinetadas que uma dava na outra, porém triste ler os desabafos de Rose em relação a ela. Rose continua explosiva nesse livro, mas com todos os problemas entre os Moroi, seu foco está em proteger Lissa.

"Foi bom ver você também. Fiquei surpresa de você ter me reconhecido. Na verdade, quando vi que você estava no campus e nem se dera ao trabalho de me avisar, fiquei achando que você nem se lembrava mais da minha existência."
 A Escola decide fazer uma viagem de "férias" à uma estação de esqui, já que estão perto do Natal e por ser um lugar apenas para Moroi e Dampiros. Na estação, conhecemos mais um personagem: Adrian Ivashkov (). Conhecido por todos, tanto da os realeza quanto os que não são, por ser mulherengo, festeiro, mimado, audacioso, sem vergonha e sem juízo. Pouco depois descobrimos que ele é um personagem chave para competir lado a lado com Dimitri pela atenção de Rose - e claro que a nossa também.
Lissa está namorando Cristian Ozera, o que a deixa com pouco tempo para ficar com Rose, que não conta nada sobre os sentimentos que tem por Dimitri. Então Lissa fica meio que empurrando Rose para namorar com Mason, um dampiro bonitinho com quem Rose gosta de flertar - o que ela faz muito com vários, no primeiro livro ela ganha apelidos nada legais por causa disso -, mas não está interessada em namorar com ele. Porém, Tasha Ozera, tia de Cristian, meio que quer Dimitri, então Rose aceita "dar uma chance" a Mason, mas fica mais parecendo que ela está fazendo para fazer ciúme. 

"É impossível se forçar a amar alguém, eu me dei conta disso. O amor existe ou não existe."
 Bom, acontece muitas coisas no livro. O final é uma loucura, nos faz odiar Rose por abrir a boca mais que o necessário e depois nos faz ter admiração por ela. Lembrando: peguem um lenço. Você vai chorar. A diva ruiva melhora a cada livro, isso é certeza! Seus personagens evoluem, apesar de Lissa ter ficado meio apagadinha nesse livro. Fiquei com um pouco de raiva pelo que Richelle fez, mas entendi que foi mais uma lição para que todos ficassem mais alertas. Enfim, Dimitri está apaixonante (Adrian também!!!), mas sua resistência em relação a Rose faz com que a gente tenha vontade de bater nele. Rose, tempestuosa como sempre.

Gente, Adrian. Adrian vai te pegar e não vai deixar com que você esqueça dele nunca jamais. Esses tempos estou ouvindo muito Arctic Monkeys e uma música que me faz lembrar muito dele é Do I Wanna Know?

Vocês já leram? Beijos, seus lindos!
Au revoir!