26 novembro 2014

{Resenha} Maze Runner: Correr ou Morrer

E eu que disse que não leria mais livros esse ano, menti. Nunca consigo ficar sem ler, é realmente minha válvula de escape do mundo.
Enfim, hoje eu vim com a resenha de Correr ou Morrer, primeiro livro da trilogia distópica de Maze Runner, escrito por James Dashner. Sim, é uma trilogia, porém há quatro livros. Procurei um pouco sobre os livros e vi que o quarto livro se passa antes dos acontecimentos do primeiro livro. Estranho, mas interessante.
Acho que já deu para ver que eu AMO distopia e amei quando vi o filme. Eu não sabia nada sobre a história de Maze Runner, já tinha visto algumas pessoas falarem, mas não fui procurar sobre. Então, um dia me deu vontade de ver filme e fui ver quais tinha no cinema e o que mais me chamou atenção (pelo poster) foi Maze Runner. E fui ver. Amei. Simplesmente. E comprei os livros. Lindo!

Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho. Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar - chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo. Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr, correr muito. 
 Editora: Vergara & Riba
Título Original: The Maze Runner
Autor: James Dashner
Páginas: 428
Ano: 2010
 O livro começa quando Thomas acorda dentro de um elevador escuro, em movimento, e percebe que não tem lembrança de nada sobre sua vida, a não ser seu nome. Quando esse elevador para e as portas se abrem, ele vê que está em um lugar chamado Clareira e que há vários outros garotos na mesma situação: sem memória e sem nenhum tipo de informação sobre o motivo por que foram jogados ali.

Thomas é obrigado a esperar pelo Passeio na manhã seguinte a que ele chega, onde tudo será explicado para ele. Com isso, Thomas descobre que a Clareira é rodeada por um Labirinto de muros enormes, onde todas as noites as portas dele se fecham. E, nenhum Clareano, como eles se denominam, que passou a noite no Labirinto, saiu vivo de lá.

Por que? Existem monstros totalmente assustadores e a explicação de como eles são vai além da imaginação: os Verdugos. Meio máquinas meio bichos gosmentos e nojentos, os Verdugos são os maiores perigos para os Clareanos. No dia depois que Thomas chega à Clareira, acontece uma coisa muito estranha, a Caixa, como é chamado o elevador, sobe com mais um novato, mas dessa vez é uma menina que traz consigo uma mensagem bem assustadora.

Minho, um Corredor, encontra um Verdugo morto e chama Alby, o Líder, para que possam ver o que aconteceu. Ocorre um imprevisto com eles o que acaba fazendo com que cheguem atrasados na Clareira e as Portas do Labirinto se fecham, porém antes de se fecharem, Thomas, que estava esperando eles chegarem, viu que não daria tempo para Alby e Minho entrarem e correu para o Labirinto, quebrando a Regra Número Um: Nunca Entre No Labirinto.

Depois desses acontecimentos, todos passam a suspeitar de Thomas, primeiro por causa da garota e segundo por ter sobrevivido uma noite no Labirinto junto com Minho e Alby e acabar deixando a Clareira em desordem após sua chegada.

Esse é praticamente um resumão da história, o que importa é: você tem que ler o livro. Olha só, se tiver algum romântico ao extremo aqui, nem leia, pois é bem provável que depois irá falar mal do livro para deus e o mundo. Esse é um livro de ação, mistério e suspense, não de romance. Pode até ser que tenha nos próximos livros, mas nesse é bem superficial.

Dashner consegue nos passar muito bem como é estar dentro da Clareira e cada traço dos personagens. A ideia da distopia dele é bem diferente de tudo que já li e assisti, pode ser que lembre Jogos Vorazes, mas é muito pouco e é passado um pensamento diferente. Comecei a ler o segundo livro já e, ó: socorro. Está muito bom! Super recomendo!


E aí, alguém já leu o livro? Viu o filme? Contem aqui se gostaram. *-*

Au revoir.

19 novembro 2014

{Melhores Quotes} Claros Sinais de Loucura

E aí, galere?! Como vai a vida? A minha vai bem corrida.
Bom, maaais um "Melhores Quotes" aqui no blog e hoje venho com um livro maravilhoso (e pouco conhecido ainda) que é o Claros Sinais de Loucura, da Karen Harrington. Ah, e para quem não sabe, fiz uma resenha dele aqui no blog, para lê-la clique aqui.

Claros Sinais de Loucura - Karen Harrington
"Nem todo mundo reage às palavras da mesma maneira. Algumas são palavras-problema. Uma palavra problema muda a expressão da pessoa que a escuta. Amor pode ser uma palavra-problema para algumas pessoas. Loucura também. Eu sei bem."
"Do meu ponto de vista, a vida é muito dramática. Eu estou apenas fazendo meu papel." 
"É engraçado como eu não sabia que era um só um monte de peças soltas até que alguém me abraçou forte." 
"É isso o que eu sou. Uma cripta de segredos. Eles se agitam dentro do meu peito como pássaros engaiolados que querem fugir, mas têm medo de voar."
"Por que alguém ia querer que o mundo soubesse da sua vida? Pessoalmente eu ia preferir que um garoto percebesse qual livro eu estava lendo e me dissesse que também tinha gostado. Isso parece um sinal melhor de carinho do que um beijinho qualquer." 
"Mas, afinal, o que eu sei sobre amor e relacionamentos? Resposta: nada." 
"A maioria das pessoas não sabe o que realmente pensa até colocar no papel." 
"Sempre que comprar uma blusa nova ou algum creme para ficar bonita, vá e compre um livro na mesma hora. Também é importante embelezar a mente, não acha?"
"Por que meu nome soa tão mais bonito quando dito por ele? Não sei. Em seus lábios, meu nome parece um elogio." 

E aí, gostaram? Alguém já leu o livro?
Por hoje, é isso. Au revoir! 

04 novembro 2014

{Top Ten Tuesday} Autores que mais tenho na estante


Achei que já tivesse passado dessa fase de sumir daqui do blog. Nem para entrar aqui tive tempo direito. E com o ENEM agora, vim aqui correndo fazer o Top Ten dessa semana e já vou meter a cara nos livros de novo.
Hoje o desafio é dos autores que mais aparecem na minha estante, foi um pouco difícil ver isso, porque minha estante estão apenas alguns livros e vários livros estão guardados em lugares de difícil acesso.
Lembrando que esse é um projeto criado inicialmente pelo blog The Broke and the Bookish.

10. Lauren Kate: Eu simplesmente amo livros sobre anjos, e a série Fallen é maravilhosa! Mas ainda acho que Kate poderia ter tirado o mimimi todo e melhorado mais ainda a história.

9. Becca Fitzpatrick: Ainda com a temática de anjos, Fitzpatrick conquistou vários corações com o Patch, o anjo caído mais tentador de todos os tempos. hahah Juro, se tivesse mais livros da série, eu compraria na hora.

8. Oliver Bowden: Gosto muito de História e os livros da série Assassin's Creed são incrivelmente maravilhosos. Conheci um cara que jogava o game, pesquisei e descobri que tinha os livros. Comprei os livros para entender mais sobre o que ele conversava comigo e acabei amando a obra. Ezio ♥

7. Douglas Adams: Tenho todos os livros de O Guia dos Mochileiros das Galáxias, mas não li ainda. Comecei a ler o primeiro livro e tentei fazer do meu namorado um leitor iniciante com ele, parei de ler e emprestei, mas não obtive sucesso. (e não vou desistir!!)

6. George R. R. Martin: A peleja que eu tive para ganhar os livros está sendo a mesma para eu conseguir lê-los. Estou quase acabando o primeiro, mas não acaba! Até parei de ver a série, estava demorando muito para eu chegar nas partes mais fodas.

5. Markus Zusak: O primeiro livro que li do Zusak foi A Garota Que Eu Quero. Foi amor à primeira vista, me julguem, mas comprei por causa da capa. Depois A Menina Que Roubava Livros me conquistou e passei a ler os outros livros dele. Muito bom.

4. Gail Carson Levine: Pelo que pesquisei, Levine é a autora da série Disney Fadas. Sim, também gosto de fadas e não tenho vergonha disso. Tenho quase dez livros da série e são as coisas mais fofas do mundo!

3. P. C. Cast e Kristin Cast: Como não ter vários livros delas sendo que parece que elas não conseguem escrever poucos livros para uma série?! Só com House of Night são nove livros, até agora! Ainda tem os livros adicionais que elas escrevem sobre a série e outras séries, que são extremamente maravilhosas.

2. Stephen King: Meu maior orgulho foi comprar a série toda de Torre Negra por apenas 50 dilmas. Está na lista para ler, mas time que é good, nós não have.

1. Richelle Mead: A diva é a ruiva mais linda que mais aparece na minha estante. Academia de Vampiros e Bloodlines são séries com seis livros cada e daqui a alguns dias espero ter outra série dela. *-*

Esse foi meu TTT dessa semana, o que acharam? Qual o escritor que mai aparece na sua estante?