28 novembro 2016

Segunda-feira, 28 de novembro de 2016

pinterest

Quem a vê sorrindo assim, não acredita que ela guarda alguns segredos ruins junto a ela e nem que é capaz de fazer coisas ruins. Não, não. Ela não faz essas coisas contras as pessoas, faz com si mesma e guarda junto a mente.

Ela gosta de fazer listas, mas se desinteressa rapidamente de cada uma delas. Às vezes, por falta do que colocar nelas, às vezes, por falta de tempo. Ela escreve, escreve muito. E quando ela é vista escrevendo em sua caderneta, é porque as coisas dentro de si não estão da maneira como deveriam. Mas ela escreve porque gosta de coisas antigas e quer ler seus pensamentos quando já tiver esquecido. Ela tenta dar sempre o seu melhor no trabalho, mesmo não conseguindo criar algo interessante e bonito, às vezes.

Ela gosta de ler e, eis aqui o seu mal: ela lê alguns romances baratos para diminuir um pouco das lágrimas acumuladas pelo tempo. Não chora só pelas histórias dos livros, chora pela sua. Mas que fique bem claro que ela também não sabe o porquê das lágrimas. Não sabe porque está chorando, não consegue explicar a sensação que sente e não entende o que a puxa para baixo, cada vez mais fundo, mais escuro.

Ela deixa isso registrado no caderno e continua lendo seus livros. Tentando se erguer.